ONG divulga investigação brasileira que flagra sofrimento de galinhas exploradas para ovos



Em sua primeira investigação no País, a Animal Equality Brasil captou imagens em uma granja industrial de produção de ovos no estado do Mato Grosso.

A empresa investigada é a Granja Yabuta, que tem várias unidades espalhadas pelo interior do País e é uma das principais fornecedoras de ovos para o mercado nacional.

Com investigadores infiltrados munidos de câmeras de alta qualidade, a ONG conseguiu registrar o sofrimento das galinhas exploradas pela indústria de ovos que é comum às empresas do setor também no Brasil.

Seis animais ficam em cada uma das centenas (talvez milhares) de gaiolas do local e sua vida consiste basicamente em comer, defecar e botar ovos para abastecer o paladar dos que os consomem.

As galinhas que não aguentam mais a exploração e as condições da granja morrem ali mesmo e muitas vezes não são retiradas, decompondo-se entre os animais que ainda estão vivos. No fim de sua vida útil, ou seja, quando param de botar a quantidade de ovos que a indústria quer, todas elas são mortas.

Vale lembrar também que, para criar os bilhões de galinhas hoje confinadas para ovos no Brasil, outros bilhões de pintinhos machos são descartados assim que nascem por não terem valor comercial. Como a indústria não consegue escolher o sexo dos animais que nascerão das chocadeiras, os machos são mortos e as fêmeas encaminhadas para exploração para a produção de ovos. Os machos não são aproveitados para a indústria de carne de frango porque são de outra linhagem, não vão crescer como a indústria da carne quer.

Se você compra ou mesmo apenas consome ovos ou produtos com ovos, você está financiando essa indústria.



Fonte: Vista-se

Fotos: Animal Equality Brasil


NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

1. No vídeo sobre essa investigação que a Animal Equality Brasil publicou em seu canal no YouTube, eles fazem um apelo: "Ajude-nos a banir as gaiolas". Mas o fim das gaiolas não significa o fim do sofrimento, exploração, tortura e morte para as galinhas. O fim das gaiolas não significa que as galinhas vão ser criadas soltas em uma fazenda ensolarada, saltitando e ciscando felizes, até morrerem idosas. A criação de galinhas "livres de gaiolas", assim como o "abate humanitário", é mais uma falácia propalada pela indústria da carne para enganar aquelas pessoas que comem as carnes e tudo o mais que vem dos corpos de animais, mas que têm algum peso na consciência por isso (embora isso não as faça parar), poderem continuar a fazê-lo sem se sentirem culpadas. 

O que nós, da causa animal, queremos é a verdadeira libertação animal. No caso das galinhas, livres não somente das gaiolas, mas também dessas fábricas de horror. Não deixe de ler:


E leia também:



As galinhas, assim como os bois, porcos, peixes e todos os animais que o ser humano come, são animais sencientes, ou seja, sentem amor, alegria, medo, dor, assim como nós. Conheça um pouco melhor sobre as galinhas:

Sim, você pode perfeitamente bater aquele bolo sem usar ovos. Veja como:


E sim, ao contrário do que diz o ditado, é totalmente possível fazer um omelete sem quebrar os ovos:


2. E você pode tirar não apenas os ovos, mas também, e principalmente, as galinhas do seu prato. Ao contrário do que parece, não é difícil. Tenha primeiro em mente que animais não são alimento, nenhum deles. Não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";


Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, simples e baratas de fazer. Estes são alguns: 




Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne) 

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio.

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário