Mais sobre a Carne Fraca. Parte 2: Carne com papelão é apenas a ponta minúscula do iceberg



Repórteres do programa Fantástico, da TV Globo, investigaram matadouros por todo o País e realizaram flagrantes chocantes: total falta de higiene e situações de extrema crueldade e maus-tratos contra animais destinados aos frigoríficos.

As estimativas obtidas pelos profissionais apontaram que 30% da carne disponível no mercado é produzida sem fiscalização. A reportagem dos jornalistas Fabio Castro e Monica Marques mostra não apenas uma questão de saúde pública que precisa estar em pauta, mas também uma questão ética em relação aos animais condenados à morte pela indústria, além da completa falta de transparência com o consumidor, que é impedido de fazer escolhas corretas por ser seduzido por uma forte publicidade que mascara crimes cometidos com animais humanos e não humanos em nome do dinheiro.

Segundo os repórteres, animais são mortos com golpes de marretas e até com disparos de espingardas. Restos de carne são deixados em locais onde vivem cães e outros animais. Funcionários ficam sem camisa ou qualquer vestimenta adequada, fumando e suando, enquanto cortam  pedaços de animais já sem vida com machados.

O Brasil possui atualmente 200 milhões de bovinos destinados a matadouros. É o maior exportador de carne bovina do mundo. Os flagrantes realizados pelos repórteres foram feitos com câmeras escondidas em matadouros municipais e estaduais legalizados. A operação foi realizada em parceria com a ONG Bicho da Terra, uma organização mundial que denuncia crimes ambientais em todo o planeta.

Duzentos e oitenta matadouros foram visitados em oito estados brasileiros. Nesses locais, higiene é uma palavra quase desconhecida. Funcionários não usam luvas ou uniformes. Convivem diariamente com insetos, ratos e mau cheiro durante as atividades. “Sem nada, do jeito que está. Roupa normal, não tem uma luva, não tem nada. Nada, nada. Máscara, nada, nada. Ergue no balanção aqui. Com essa mão suja que você já veio aqui e pegou aqui tudo enferrujado, você vai lá e encosta no animal. Rato tinha demais. Rato aí, ave, Maria, tem muito. Só rato grande”, afirmou um ex-funcionário.

A carne já cortada não passa por processos de resfriamento, que retarda a decomposição, e restos são usados para alimentar cães, gatos e porcos.

Crueldade e desrespeito à vida

Em um matadouro de Jeriquara (SP), animais são covardemente maltratados e humilhados por seus algozes. Em um dos registros, um homem leva um boi ao matadouro. Assustado, o animal tenta resistir, mas é chutado e tem seu rabo mordido pelo funcionário. Após lutar para tentar sobreviver, é alvejado com um tiro na cabeça e seu cadáver é arrastado para o interior do local. Questionado sobre o método, o responsável do local afirmou que quando os animais não são mortos a tiros, são vítimas de marretadas na cabeça.

Os animais não recebem qualquer atendimento veterinário e são privados de alimentação dias antes de serem mortos. Aterrorizados e feridos, animais são diariamente vítimas de torturas indizíveis em nome de uma indústria que não está preocupada em alimentar a população, mas sim envenená-la em nome do dinheiro. A reportagem realizada pelo Fantástico mostra que a carne com papelão* é na verdade uma ponta minúscula do iceberg da indústria pecuária no País.



NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

1. *Sobre o papelão na carne, leia aqui. Pode até haver algumas controvérsias sobre o que é divulgado a respeito da Operação Carne Fraca, mas três pontos são indiscutíveis: as atrocidades praticadas contra os animais na indústria da carne, não só em todo o Brasil, mas em todo o mundo; os malefícios que o consumo de carne causa à saúde humana, por "melhor" que ela seja conservada e preparada; e o estrago que a indústria da carne está causando no planeta

2. Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";

Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, simples e baratas de fazer. Estes são alguns: 




Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne) 

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio.

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário