10 coisas que acontecem com animais explorados para abate



1. Covardia


Porquinhos doentes ou que não crescem rápido suficiente são arremessados de cabeça em pisos de concreto para morrerem. Mantê-los vivos é muito custoso para a indústria.


2. Corte dos chifres


Fazendeiros cortam os chifres dos bois sem qualquer anestesia. Além da dor incalculável, o ato ainda pode causar infecções graves nos animais. Apesar disso, a prática é permitida por órgãos governamentais e até por lei.


3. Corte do rabo


Cortar o rabo de bois e vacas é uma prática normal na indústria. Nesse procedimento, corta-se pele, nervos e osso sem anestesia.


4. Corte do bico


Galinhas têm seus bicos cortados para evitar canibalismo, consequência do alto índice de estresse a que são submetidas.


5. Castração sem anestesia


Logo após nascerem, os porcos têm seus testículos arrancados sem qualquer anestesia.


6. Trituração de animais vivos


Pintinhos machos não botam ovos nem crescem tão rápido que compense seu custo de produção para serem vendidos como carne. Por isso, são sacrificados cruelmente, muitas vezes triturados ainda vivos.


7. Confinamento


Para maximizar a produtividade e a economia, animais em fazendas de exploração são mantidos presos em celas minúsculas onde mal conseguem se mexer. A grande maioria só vê a luz do sol a caminho do matadouro.


8. Overdose de antibióticos


Cerca de 80% de todos os antibióticos utilizados nos Estados Unidos são destinados a animais explorados para abate. No Brasil, a situação não é muito diferente.


9. Canibalismo


Para otimizar custos, muitas vezes os produtores usam carcaças de outros animais para alimentar galinhas e porcos.


10. Separação de famílias


Na indústria do leite, os bezerros são separados da mãe com poucos dias de vida. O leite que lhes serviria de alimento é consumido pelo homem. Quando nascem machos, os bezerros são abatidos com poucos meses de idade, anêmicos pela privação forçada de ferro pela indústria de carne de vitela.


NOTA DA NATUREZA EM FORMA:

Ficou chocado? Então faça sua parte, não compactuando mais com essas atrocidades. Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";

Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, simples e baratas de fazer. Estes são alguns: 




Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne) 

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio.

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário