Porcos são sensíveis e inteligentes. Então por que comê-los?



Muitas pessoas que consideram seus cães e gatos como parte da família comem animais igualmente sensíveis, dóceis e inteligentes. Destacamos alguns dos motivos que mostram por que não há diferença entre comer porcos e comer qualquer outro animal:

1. Eles são muito inteligentes

Os porcos estão entre os cinco animais mais inteligentes do mundo – inclusive mais inteligentes que cachorros.

Eles têm excelente memória para localizar objetos e incrível senso de direção. Podem achar o caminho de casa de distâncias enormes.

2. Eles sofrem e sentem dor

Porcos são seres sencientes, capazes de sentir emoções como alegria, solidão, frustração, medo e dor.

A despeito disso tudo, a maioria dos porcos é submetida a crueldades inimagináveis do nascimento ao matadouro. Porcas gestantes são confinadas em celas de metal minúsculas onde são incapazes de se mexer. Os porquinhos têm seus testículos e dentes arrancados sem qualquer anestesia e muitos deles (os que não crescem rápido o suficiente) são arremessados de cabeça no piso de concreto para morrerem, de modo a não gerarem despesas para a indústria.

3. Eles merecem respeito e consideração. Há claramente uma enorme contradição entre amar alguns animais e comer outros

Apesar de muita gente condenar a crueldade com os animais, muitos preferem se apegar a alguma justificativa para continuar comendo carne. Uma das principais é o argumento de que precisamos de carne para sobreviver.

A ciência já provou e milhões de veganos vêm demonstrando que não precisamos de qualquer alimento de origem animal para termos uma saúde perfeita. Na verdade, podemos ser mais saudáveis adotando uma dieta vegetariana* bem balanceada, reduzindo assim drasticamente o risco de desenvolvermos câncer, diabetes e problemas cardíacos.


O vídeo abaixo foi produzido a partir de uma investigação da organização Mercy for Animals, nos Estados Unidos. No Brasil e restante do mundo, a realidade dos porcos não é diferente. Não há legendas em português, mas as imagens já contam o suficiente. Veja você mesmo:




Fonte: Mercy for Animal Brasil



NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

1. Nosso Centro de Adoção ajuda na intermediação da adoção de porcos resgatados do acidente no Rodoanel, em São Paulo, ocorrido em agosto de 2015, e porcos apreendidos pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Guarulhos (SP), que viviam em situação de maus-tratos em uma criação de fundo de quintal.

Hoje, há 50 porcos do Rodoanel vivendo em um santuário em São Roque, interior de São Paulo, e 20 porcos da apreensão de Guarulhos vivendo com uma protetora em Jundiaí (SP). Todos eles aguardam ser adotados por uma família que os trate com a dignidade e amor que merecem. 

Se você é vegetariano / vegetariano estrito / vegano, mora em uma casa com recinto de terra com pelo menos 100 metros quadrados e estruturas fortes para aguentar a força deles (os animais adultos pesam em torno de 300 quilos) e tem muito amor para dar, fale com a gente: (11) 3151-2536 / 3151-4885 / 7766-1559 (Nextel) / contato@naturezaemforma.org.br.


Na foto abaixo, os irmãos Pedrinho e Peppa, filhotes com menos de um ano de idade que vieram da apreensão em Guarulhos. 

                     Foto: Natureza em Forma / Divulgação


2. Leia também: Estudo mostra que galinhas são animais inteligentes e sensíveis

3. *Saiba a diferença entre vegetarianos, vegetarianos estritos e veganos aqui.

4. Saiba como denunciar maus-tratos aqui.

5. Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";

Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, simples e baratas de fazer. Estes são alguns: 




Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne) 

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio.

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário