O que acontece quando você adota o veganismo




A percepção geral que se tem do veganismo, infelizmente, ainda é equivocada. O veganismo vai muito além da dieta e de hábitos de consumo. Quando se abraça e pratica o veganismo, uma série de conceitos começa a desmoronar em nossa cabeça e consegue-se enxergar o mundo a partir de uma nova perspectiva, com uma facilidade maior em se colocar no lugar do outro e compreender suas dores e necessidades.

A grande virada ocorre quando os valores morais deixam de se restringir a um único foco e passam a ter abrangência coletiva. Nossas ações mais simples podem ter consequências desastrosas e, por isso, temos responsabilidade moral por tudo que provocamos. O veganismo expõe isso de forma clara, mostrando que se nossas ações tiverem motivações egocêntricas, inevitavelmente estaremos provocando sofrimento a outras pessoas e/ou animais e/ou mesmo danos ao ecossistema local e planetário. Nossas escolhas acabam por influenciar, inclusive, as futuras gerações humanas e não humanas que deverão habitar este planeta. 

Em outras palavras, com o crescimento do veganismo no mundo, podemos prever que, no futuro próximo, a educação primária não ensinará as crianças a priorizarem fatores de sucesso pessoal competitivo, como tirar a maior nota ou chegar em primeiro lugar nas Olimpíadas, mas sim a cultivar a responsabilidade e a consciência moral coletiva e a entender a necessidade do bem-estar de todos. Isso é mergulhar no veganismo: transcender a questão dos desejos pessoais por um bem maior e mais justo. 

Começar a praticar o veganismo significa absorver naturalmente algumas questões: 

1. Os animais são sencientes e possuem valor moral

Todos os animais do planeta, inclusive os humanos, possuem o mesmo interesse pela vida. Todos querem viver livres. 

Hoje em dia, estamos tratando animais como objetos e nos distanciando da humanidade que deveríamos ter. O veganismo entende que os animais possuem seus próprios interesses e que não faz sentido explorá-los para a satisfação de qualquer interesse pessoal nosso. 

2. Humanos não precisam consumir carne para viver e ter uma saúde plena 

Há muitos mitos sobre a necessidade de alimentos de origem animal. Infelizmente, esses mitos ainda estão entranhados em uma cultura de milênios, que hoje não mais se sustenta nem ambiental, nem social nem moralmente. Veja aqui alguns argumentos fracos usados para tentar justificar o consumo de carne. 

3. Nossos ancestrais dependiam da caça para sobreviver em locais onde não existia cultivo de alimentos ou os alimentos vegetais eram escassos

Hoje, felizmente, não temos mais esse problema. É importante diferenciar o consumo de carne de hoje do consumo de carne naqueles tempos também sob o aspecto da exploração. Diferentemente dos animais carnívoros, o homem, além de não precisar de carne para viver, explora animais domesticados e os submete a toda uma vida miserável, do nascimento a uma morte cruel, covarde e prematura. 

4. Começamos a entender melhor o problema de grupos oprimidos 

Toda exploração se baseia na visão de um determinado grupo (opressor) que se julga superior a outro (oprimido). Essa perspectiva fica muito mais clara a partir do veganismo. A questão de grupos opressores e grupos oprimidos desmorona a partir do momento em que cultivamos uma cultura de valores baseada no altruísmo. A adoção do veganismo, em sintonia com essa nova mentalidade, resolve todos os problemas de preconceito, além do especismo. 

5. Consumir animais não é o normal

O consumo de carne é unicamente uma questão cultural, ultrapassada e sustentada por uma indústria bilionária. Nós já temos leis para maus-tratos de animais de estimação, mas os animais de abate são excluídos dessas leis por interesses financeiros. O dinheiro não pode e não deve continuar acima de princípios morais e do bem-estar coletivo. 


O termo 'escolha pessoal' só se aplica quando o autor da escolha é o único afetado. Portanto uma escolha que afeta positiva ou negativamente outras pessoas ou estruturas não pode ser considerada uma prerrogativa pessoal. Nada que promova a violência contra outrem deve ser considerado como escolha pessoal. Nada que exija a exploração de algo ou alguém deve ser considerado como escolha pessoal, assim como explorar um escravo jamais deveria ter sido considerado uma escolha pessoal. 

7. O consumo de animais é o maior responsável pelos maiores problemas do planeta

Os maiores problemas ambientais do mundo estão diretamente ligados ao consumo de animais. Falta d’água, poluição de rios, geração de lixo, processos de desertificação do solo, ineficácia na geração de alimento, desmatamento, extinção de espécies em massa, áreas mortas nos oceanos e aquecimento global. Essas informações são como um tapa na cara para quem cresceu em uma estrutura que faz de tudo para esconder esses fatos. 

8. A paz passa pelo veganismo

Animais não humanos são seres sencientes, dotados de consciência e estruturas emocionais complexas. Enquanto tratarmos seres sencientes como objetos e praticarmos a violência e não a compaixão, a paz não prevalecerá. Os maiores problemas do homem - a corrupção e a guerra - são baseados em valores morais egocêntricos. Para agirmos na raiz desses problemas, precisamos largar os valores egocêntricos (como é o caso do antropocentrismo) e abraçar valores altruístas. Altruísmo e veganismo são indissociáveis. 

Faça parte da maior mudança moral da história da humanidade. Inicie a mudança agora! 



NOTA DA NATUREZA EM FORMA: 

Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegetariana estrita, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo (que engloba não somente a dieta vegetariana estrita, como também o não uso de roupas e acessórios de couro, lã, pele e seda, assim como o boicote a "atrações" que exploram os animais, como zoológicos, circos e aquários, e a empresas que fazem testes em animais) está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e um imensurável número de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

- Troll Ajuda disponibiliza um tópico fixo com uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes e "veteranos";

- Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas;

- Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar o bolso;

- Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos estritos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, simples e baratas de fazer. Estes são alguns: 




- Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne) 

Já a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal (impressa e on-line) com excelente conteúdo que vai bem além de receitas, focando a saúde como um todo. 

O Mapa Vegano lista diversos estabelecimentos em todo o Brasil, abrangendo produtos e serviços de alimentos e bebidas, higiene e beleza, roupas e acessórios, ONGs e outros. 

E para dar uma força aos iniciantes, o Escolha Veg / Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de você começar - e descobrir que consegue abolir definitivamente os animais do seu cardápio. 

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário