Piauí ganha restaurantes com alimentação para veganos e vegetarianos


Ao longo dos anos, os hábitos alimentares foram mudando e estão diretamente ligados ao estilo de vida e à forma de pensar de cada pessoa. É o que acontece com quem opta por ser vegetariano ou vegano, e exclui carnes e até derivados de animais do cardápio. No Piauí, o número de adeptos vem crescendo e, consequentemente, o número de empreendimentos para atender a essa necessidade.

A universitária Débora Melo, por exemplo, é alguém que não come carnes. Ela conheceu o estilo de vida vegetariano enquanto fazia intercâmbio fora do Brasil e decidiu aderir a esse novo hábito.

“Na Europa, conheci várias pessoas que eram vegetarianas e até aquele momento eu nunca tinha tido contato com pessoas desse estilo. Então vi que era possível se alimentar de uma maneira que não prejudicasse outros seres vivos. A adaptação foi fácil. Tracei uma meta: 'no próximo ano, não vou comer mais carne'. E quando chegou no primeiro dia do ano, comecei e estou cumprindo até agora”, frisa.

E como essa comida é diferente dos alimentos vendidos nas ruas, os vegetarianos costumam preparar suas refeições em casa e levar para os locais que frequentam. Contudo, com o crescimento do número de vegetarianos, alguns locais já passam a pensar na oferta de alimento para essas pessoas. É o caso da Universidade Federal do Piauí (UFPI), que desde março [2017] está implantando um novo cardápio especialmente para vegetarianos.

“Observamos que alguns alunos estão numa faixa etária bastante jovem, e nós entendemos que o cardápio geral trazia prejuízos a eles. Então estamos oferecendo um prato proteico com a proteína texturizada de soja*. Estamos buscando que nosso cardápio padrão se adeque às necessidades do vegetariano”, ressalta a coordenadora do restaurante universitário, Jaudimar Vieira.

A mestranda Maria Luz destaca que essa foi uma conquista importante, pois havia dias em que os vegetarianos comiam apenas arroz, farofa e salada.

Outro hábito alimentar que está ganhando espaço em solo piauiense é a opção pelo veganismo. Recentemente, a capital Teresina ganhou o primeiro centro vegano do estado. Proprietário do empreendimento e vegano há cinco anos, Vítor Moreira ressalta que o lugar é um dos poucos que existem no Brasil.

“O vegano, além de excluir de sua alimentação as carnes, leites e ovos, na medida do possível tenta excluir de sua vida tudo aquilo que explore os animais, como vestimentas feitas com pele de animais, feitas com seda, o próprio mel e tudo que for derivado e possa causar algum dano aos animais”, destaca Moreira.

E a nutricionista Tamara Medeiros ressalta que a ausência da carne não prejudica a saúde: “Temos um ferro diferente do ferro animal, que é o não heme. Ele é difícil de ser absorvido, mas quando isso ocorre é bem mais aproveitável que o de origem animal. Em relação à proteína, podemos substituir tranquilamente a carne por uma porção dobrada de leguminosas. Fazendo uma alimentação mais variada possível, conseguimos todos os nutrientes que precisamos”. 

Veja o vídeo.



Fonte: Gshow

Foto: Reprodução


NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

*1. Lembramos que existem muitas outras fontes de proteína vegetal além da soja: feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha, gergelim, amendoim, quinoa, amaranto, entre outras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário