Campanha relâmpago sacode a internet contra a farra do boi


Convidados pelo Coletivo Brasil Contra a Farra do Boi, artistas cederam sua imagem em filantropia e se reuniram para levantar repercussão instantânea nas redes sociais em combate à farra do boi. As gravações aconteceram na Attive Coworking, apoiadora da campanha, e a edição foi produzida rapidamente para que, tanto o vídeo quanto as peças, estivessem no ar antes do domingo de Páscoa.

Formaram o elenco de pessoas que vestiram a camiseta, assinada pela ativista e cantora Nana Lacerda: as apresentadoras de televisão Márcia Unfer, Rosane Marchetti e Carla Berto; a cantora e atriz Valéria Houston; o fotógrafo e produtor artístico Rodrigo Bragaglia. Parte das vendas servirá para captar fundos de combate à farra do boi.

O resultado da ação de mídia ativista saiu exatamente como planejado, no sábado (15/4/2017), após veiculação da campanha no ar pela página do Coletivo Brasil Contra a Farra do Boi. A onda viralizou na internet e todos começaram a gritar pela presença da Polícia Militar nas ruas das cidades de Florianópolis e Governador Celso Ramos (SC). Centenas de pessoas se direcionaram à página para avisar onde estavam ocorrendo os focos de farras e, assim, os internautas recebiam comandos para todos acionarem a PM na mesma hora, anotando o protocolo de ocorrência e enviando para registro dos ativistas.

O protesto virtual funcionou, o sábado foi de histeria cibernética, com todo o Brasil pela primeira vez gritando pelo combate à farra. A juíza Rosana Navega, do Rio de Janeiro, emitiu uma nota extraoficial através de e-mail ao governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, lembrando que o estado já deve quase cinco milhões ao governo federal por descumprimento da lei e que, ao não tomar medidas efetivas propondo penas mais duras aos farristas, estará cometendo crime de improbidade administrativa. Cabe ressaltar que mais da metade dos farristas são filhos de pescadores locais, jovens, adolescentes e até mesmo crianças alcoolizadas e em meio ao tráfico de drogas.

Mesmo sendo proibida há quase 20 anos, a farra do boi continua acontecendo, o que deixa evidente a ineficiência das ações propostas pelo governador de Santa Catarina e também pelo prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, e pelo prefeito de Governador Celso Ramos (campeã de farras do boi), Juliano Duarte Campos - este último chegou a ir à televisão para criticar a excelente intervenção do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O jornal Biguá News destacou que a polícia da região vem fazendo um excelente trabalho no combate a essa prática criminosa. O tenente Israel Nascimento Damázio deixa uma mensagem aos farristas: “Para você que acredita que não há nada demais em perseguir, maltratar, lesionar e muitas vezes mutilar os animais usados na brincadeira, deixamos claro que nós, da Polícia Militar de Porto Belo e Bombinhas, não iremos parar”. Três farristas acabaram presos e uma farra foi evitada em Porto Belo. 

Conforme é mencionado no vídeo da campanha, os policiais têm dificuldade de intervir, o que está claro para todos. Em meio à operação de Páscoa, o contingente foi recebido com hostilidade pelos farristas, que jogaram pedras e outros objetos na guarnição. Diante do fato, a PM solicitou reforço do Bope.

Animais profundamente machucados foram encontrados pela polícia. Alguns tiveram de ser abatidos no local, tamanha a crueldade que sofreram. Ainda assim, alguns moradores “questionaram a necessidade das Forças Armadas”.

A farra do boi é crime ambiental, segundo a Lei 9.605/1998. Os farristas portam armas, pedras, facas, lanças e ameaçam todos que se opõem. Fazem em média nove farras em dias festivos, colocando muitas pessoas em risco, principalmente jovens e crianças. Fica o questionamento ao Conselho Tutelar da região quanto à dessensibilização educacional promovida em jovens em fase de formação de caráter, uma vez que são incitados a promover violência como entretenimento.

A operação cibernética em âmbito nacional que aconteceu devido a toda essa repercussão promete ficar de olho nos farristas daqui para frente - o movimento só tende a crescer e continuar cobrando medidas cada vez mais efetivas dos gestores dos locais onde ocorre essa prática.

Assista ao vídeo da campanha.



Abaixo, veja as peças da campanha.





Para vestir a camiseta e ajudar o Coletivo Brasil Contra a Farra do Boi, acesse a loja virtual ou visite a página do Facebook Brasil Contra a Farra do Boi.

Fonte: Olhar Animal

Nenhum comentário:

Postar um comentário