Supermax vai bem além de um gato preto amarrado



O abaixo-assinado que nós, da Natureza em Forma, enviamos à TV Globo, pedindo que não exibisse cenas de maus-tratos em sua nova série, recebeu o seguinte retorno da emissora: “Todas as cenas de terror de ‘Supermax’ foram feitas com auxílio de computação gráfica. A emissora tem o maior cuidado com isso e não permite que haja qualquer tipo de (sic) maus tratos. Vale ressaltar ainda que a cena é uma crítica ao uso de animais em rituais”. A mesma resposta foi enviada para os jornais Folha de S. Paulo (coluna de Mônica Bergamo) e O Globo (coluna de Patrícia Kogut), que noticiaram a petição eletrônica, criada no site Change.org em 13/9/2016 e que hoje, 25/9, até o momento desta publicação, possui 65.426 assinaturas (veja o abaixo-assinado e seu texto aqui).





Já supúnhamos o uso de computação gráfica, conforme colocamos já no primeiro parágrafo do texto do abaixo-assinado. Nossa preocupação principal, repetimos, foi a mensagem que a cena, mesmo não usando um animal de verdade, passa para os telespectadores: a banalização da violência contra os animais (especialmente gatos pretos, os mais perseguidos), que pode inclusive incentivar mentes cruéis a concretizar um ato violento. Algumas pessoas têm argumentado nas redes sociais que a exibição de uma cena de maus-tratos não vai incentivar alguém a fazer o mal. Dizem isso porque não têm o contato diário que temos com os animais que chegam em nosso Centro de Adoção, nem em qualquer outro lugar semelhante, não conhecem as histórias reais desses bichos e vivem dentro de uma redoma encantada, provavelmente na companhia de seus cães de raça comprados em um shopping (desconhecendo igualmente a crueldade da indústria da venda de animais domésticos). Mostrar imagens como essas na televisão é uma péssima ideia, sim.

Daí o pedido do corte da cena, mesmo que fictícia. Se pensássemos tratar de algo real, não teríamos criado um abaixo-assinado, mas acionado a polícia, pois maus-tratos é crime no Brasil, ainda que, infelizmente, com punição muito aquém do que deveria ser. Assim, recebemos uma resposta em parte vazia; quanto ao restante do texto enviado pela Globo, só mesmo conhecendo o contexto da cena para saber se a alegação da emissora procedia. 

Assim, já que 11 capítulos de Supermax foram disponibilizados on-line, decidimos assinar a Globo.com para assistir e checar a informação de que a cena fosse mesmo “uma crítica ao uso de animais em rituais”. Até porque, pela sinopse da série, todos os personagens cometeram algum tipo de crime: teria algum deles maltratado um gato e seria punido? Ainda que não muito convencidos disso, fomos verificar. E, como previmos, não é nada disso.

O gato computadorizado é usado em um ritual de magia negra, mas não há qualquer crítica a respeito. Um dos personagens diz que seu pai era adepto dessas práticas e a cena simplesmente acontece e pronto. Nenhuma crítica, apenas uma cena gratuita promovendo - como imaginávamos - a banalização da violência. Além do gato preto, em outro capítulo, são mostrados pés de frango amarrados e pendurados, pingando sangue. Novamente, não dizemos que a produção da série matou essas aves, mas, outra vez, repudiamos seu significado. “Vamos fazer cenas de magia negra? Então vamos mostrar sacrifícios de gatos pretos e frangos!”, parece ter sido o “raciocínio”. 

Esse clichê é perigoso e propagá-lo é um desserviço. Por que não encenar o sacrifício de um ser humano? As chances de uma pessoa ver outra sendo violentada na TV e repetir o ato na rua com um semelhante são muito menores do que alguém assistir à encenação de um gato sendo amarrado e apunhalado, e, ao cruzar com um de verdade, dar um chute ou coisa pior. Isso porque o ser humano tende a julgar sua espécie melhor do que as outras (chama-se especismo, e é tão nocivo quanto o racismo, sexismo, xenofobia e homofobia, todos pensamentos que se baseiam na suposta superioridade de alguns grupos sobre outros e cujos adeptos constantemente fazem uso de violência para impor tal suposição). É como diz um dos personagens em outro momento, ao encontrar um arranjo com vários olhos arrancados: “Será que é mesmo de gente? Não é de animal?”. Como se a hipótese de aqueles órgãos sem vida terem pertencido a um animal fosse aceitável e menos macabra. Para nós, da Natureza em Forma, e qualquer pessoa que conheça o real valor da vida, a violência contra os animais é tão hedionda e inaceitável quanto em relação a qualquer ser humano – e nos referimos à violência diária por que passam esses animais nas ruas, abatedouros, granjas, fazendas aquáticas, zoológicos, circos, laboratórios, rituais (sejam estes para “louvar” quem quer que seja) etc. etc.















Duas aves se chocam contra o muro e se espatifam no chão, ensanguentadas. 
Sim, maquiagem, mas igualmente 
desnecessário e indicativo de uma inclinação mórbida dos criadores 
do programa em mostrar animais feridos e mortos – será que 
eles creem que isso dê audiência?












Cobras, ratos, porco e arara são outros animais vistos em Supermax. Todos reais – o porco e uma das cobras são mortos ficcionalmente. Conforme uma das produtoras da série, Juliana Silveira, nos contou por telefone, todos vêm de fontes confiáveis. Sim, imaginamos que todos eles tenham licença e permissão de órgãos como o Ibama para participar de produções como essa. O que não quer dizer que isso seja vida para esses animais, que deveriam estar livres em seus habitats naturais. Manter animais silvestres como cobras e araras presos só é justificável se estiverem feridos e precisando de cuidados – após sua recuperação, o órgão responsável que lhes cuidou deve libertá-los novamente na natureza. Certamente não é o caso desses animais saudáveis que estão à disposição para serem utilizados em produções audiovisuais. 

Sabemos que a utilização de animais nessas produções não é exclusividade da Globo. Emissoras de TV e a indústria cinematográfica de todo o mundo se valem desse “recurso”. Mas o que o público que está se entretendo com a história não vê é todo o estresse pelo qual os animais passam: são horas esperando o momento da gravação, presos, sob o sol, sob chuva; são as inúmeras repetições de gravação de uma única cena – já que os animais não sabem o que querem deles - até que saia o resultado desejado pela direção. E o que eles ganham com isso? Nada. Qual o nome disso? Exploração, ou trabalho escravo. 

Vendo todos esses capítulos de Supermax, percebemos que o problema que vislumbramos em seu trailer vai muito além do gato. Como ONG em defesa de todos os animais e em nosso papel educacional, nossa intenção agora com este texto é tentar conscientizar profissionais de TV – da Supermax, da Globo, de outras emissoras e do cinema - quanto ao fato de que os animais não são objetos de cena, mas sim vidas que merecem cuidados e respeito como qualquer outra. 

Outro motivo que nos levou a criar o abaixo-assinado e escrever estas linhas foi a constatação de como a Globo desconhece mesmo o respeito pelos animais. Em agosto, o programa Encontro exibiu reportagem sobre uma professora que criou um projeto de conscientização acerca da gravidez na adolescência. Para ensinar seus alunos como é tornar-se responsável por uma vida, deu-lhes pintinhos para cuidar durante as férias. O resultado foi a morte de um deles. O tema foi tratado no programa com descaso, como se a vida daquele animal não valesse nada, tendo sido apenas um experimento que não deu certo (escrevemos sobre o assunto – leia aqui). A professora pode até ter dado alguma lição sobre o que pretendia, mas e sobre os direitos dos animais? É esse olhar que educadores - incluindo aí professores e veículos de comunicação - precisam ter. 

Em todo o mundo, as pessoas estão começando a abrir os olhos para a causa animal. O número de vegetarianos e veganos vem crescendo significativamente, empresas têm deixado de fazer testes em animais, estilistas estão trocando pele e couro por tecidos sintéticos, entre outras mudanças de mentalidade. O Dia Mundial dos Animais, 4 de outubro, está chegando. É quando organizações da causa animal de todo o planeta criam eventos e atividades para celebrar a data e chamar a atenção das pessoas para as necessidades daqueles que não têm voz para reivindicar seus direitos - que precisam ser conquistados, colocados em prática e vividos todos os dias do ano. Nós, da Natureza em Forma, faremos um evento de rua em 9 de outubro, para aproveitar o domingo e atrair mais pessoas para o nosso lado (saiba mais aqui).

A mídia precisa ir na mesma direção dessa crescente conscientização mundial, e não oposta, cumprindo seu papel que também deveria ser educativo – em vez de fazer larga propaganda para companhias de extermínio de animais (e consequente desmatamento na Amazônia), que tal começar a caminhar no sentido de um mundo melhor para todas as vidas? 




Repercussão do abaixo-assinado na mídia ligada à causa animal:

Anda - Agência de Notícias de Direitos Animais

Vista-se

Olhar Animal

Mapa Veg


Mundo das Patas

O Grito do Bicho

VegetariRANGO


Repercussão na mídia geral:

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Veja SP

O Fuxico


RD1

Guia da Semana

Observatório da Televisão

Observatório do Cinema

Registro Pop

Registro Pop - resposta da Globo

Metropolitana FM

O Povo Online

Diário de Pernambuco

Gazeta de Rondônia

Diário da Chapada

40 graus.al

Verdinho Itabuna

Portal O Planeta TV

Bonde

Boa Informação

Ocioso

Blog Social 1

Regional Press

V3A

Infosaj

Esquenta Cidade

Wikipédia



Mídia impressa


Folha de S. Paulo - coluna Mônica Bergamo - 19/9


Nota acima:



O Globo - coluna Patrícia Kogut - 21/9


O Globo - coluna Patrícia Kogut - 22/9



Notas acima:



10 comentários:

  1. O mais assustador de tudo é saber que veio de um "ser" (se é que podemos chamar assim) humano.
    como pode passar na cabeça de alguém tanta violência.
    infelizmente é esse o mundo em que vivemos.
    um mundo o desamor,a crueldade e a violência tomaram conta da sociedade.
    a Globo em sua hipocrisia atesta que é uma sátira ( que sátira???); ela como mídia mundial deveria dar um exemplo do que não fazer. mas não interessa....
    não dá audiência a esse mundo doentio.
    onde cada vez mais valemos menos.

    ResponderExcluir
  2. A vida humana, suas organizações sociais e seus costumes de desrespeito à vida são assim mesmo: pedra dura que deve ser combatida sempre e cada vez mais pela água mole. Devemos insistir, com abaixo-assinados, com discursos de conscientização, com pressões sobre os processos políticos, com as mídias que usam as vidas ao bel-prazer, de modo desrespeitoso. Mesmo sendo ficções as imagens da globo, elas deveriam fazer um discurso crítico e não uma mera reprodução das violências da realidade. Arte que é arte não reproduz a realidade de modo inconsequente, mas faz isso numa recriação crítica.

    ResponderExcluir
  3. Que nojo, a Globo é revoltante!!!...Prefere mentir descaradamente e continuar incitando a violência!!! Já não basta o jeito que nosso mundo está (terrível), ainda fica produzindo obras agressivas???...E geralmente quem GOSTA de ver programas violentos já não é normal, ainda ficam incentivando!!!

    ResponderExcluir
  4. AS pessoas que se dedicam a causa animal tem uma luta constante pois os "racionais" se acham no direito de usar esses seres maravilhosos ditos "irracionais" como bem entendem. O DIREITO À UMA VIDA DIGNA NÃO É UM FAVOR QUE OS HUMANOS PRESTAM AOS ANIMAIS É UM FATO, E AS EMPRESAS DE COMUNICAÇÃO TEM O DEVER DE PRESTAR UM SERVIÇO VISANDO A TRANSFORMAÇÃO DE UMA REALIDADE QUE ESTÁ MUITO AQUÉM DAQUELA QUE SERIA A IDEAL PARA O BEM ESTAR DOS SERES VIVOS. SEJAM SENSATOS, AJUDEM A MUDAR ESSE QUADRO. AMO OS ANIMAIS.

    ResponderExcluir
  5. Totalmente do lado de vocês. Também tenho uma página no Face,"PROTEÇÃO ANIMAL" onde retrato toda a maldade humana contra os animais. São tantas, que doem em minha alma. Sou protetora também, e acho um absurdo cenas desse gênero, que só irão incentivar mentes doentes, que já fazem sem nenhum incentivo. Não envolvam animais nesse seriado que não estou acompanhando, mas por pouco que ví, é bastante mórbido.

    ResponderExcluir
  6. Isso mostra como a Rede Globo de televisão não respeita a opinião dos telespectadores, nem tão pouco está interessado na mensagem que eles que passam...

    ResponderExcluir
  7. A rede Globo precisa ser parada urgentemente, vez não só exibe lixo, como induz os telespectadores a assistir minisséries que tem outro conteúdo não o que o autor propõe na trama como foi o caso de verdades secretas em que o autor Walcyr Carrasco contava uma historinha de ' buquet rosa" , quando na verdade ele queria mesmo era a audiência com o excesso de cenas de nudez, uma lástima mesmo, pois é de espantar como um autor do porte dele se prestou a isto. No caso dos animais, certa vez alguém fez um comentário em que na própria Rede Globo ocorriam rituais satânicos, bem na época do caso Daniella Perez. Acredito que as pessoas perderam a noção do que é normal. Eu fico com o nó na garganta quando vejo que o Poder Legislativo não pune severamente indivíduos que cometem crimes contra crianças e animais, nem precisa citar o estatuto do idoso, é tão absurdo que você tem um estatuto do idoso, da criança, mas no nosso país Idoso estupra vulneravel de dois anos. Que país maldito de valores invertidos. Que "povinho" idiotizado que diz que a cena de violência não aguça a capacidade de mentes doentes. Então por que não pedimos a revogação do Estatuto do Desarmamento. Vamos dar uma arma pra cada um e salve-se quem puder ou quem tiver uma mira melhor ou sorte. Tenho horror a essa cultura brasileira de relativizar demais os fatos. É inversão da culpa da vítimas de estupros, assaltos entre outros crimes. As pessoas devem sempre pensar que aquilo que não queremos pra nós não devemos entender como justo para outro, seja animal, criança, idoso, negro, branco, obeso, magro. Eu lamento que muito seres qui na Terra se quer entende isso como uma passagem. Ontem assistia a tv e um candidato a prefeito de um município foi assassinado pra que não concorra mais, aqui no Rio de janeiro ocorreu com um presidente de uma escola de samba tradicional que morreu com 18 tiros. Assistir um outro programa que falava dos pixadores do Estado de São Paulo que mataram um morador de uma casa que teve o muro pixado porque este defendeu seu pai que apanhava dos marginais, o senhor sobreviveu, mas teve que amputar o seu braço direito atingidos por pauladas de Deus!! Quanto tá valendo a vida humana? É o cangaço se instalando. E se não pararmos pra refletir o futuro será cada vez mais negro, não haverá justiça como não há pra casos como estes. Vamos acordar meu povo, não vamos mais admitir isso, vamos reagir a qualquer forma de violência. Vamos pedir paz!!! E não a Apologia velada a violência. Nossos valores estão se invertendo e tá na hora de atentar pra isso.

    ResponderExcluir
  8. A rede Globo precisa ser parada urgentemente, vez que não só exibe lixo, como induz os telespectadores a assistir minisséries que tem outro conteúdo não o que o autor propõe na trama como foi o caso de verdades secretas em que o autor Walcyr Carrasco contava uma historinha de ' buquêrosa" , quando na verdade ele queria mesmo era a audiência com o excesso de cenas de sexo e nudez, uma lástima mesmo, pois é de espantar como um autor do porte dele se prestou a isto. No caso dos animais, certa vez alguém fez um comentário em que na própria Rede Globo ocorriam rituais satânicos, bem na época do caso Daniella Perez. Acredito que as pessoas perderam a noção do que é normal. Eu fico com o nó na garganta quando vejo que o Poder Legislativo não pune severamente indivíduos que cometem crimes contra crianças e animais, nem precisa citar o estatuto do idoso, é tão absurdo que você tem um estatuto do idoso, da criança, mas no nosso país Idoso estupra vulneravel de dois anos. Que país maldito de valores invertidos. Que "povinho" idiotizado que diz que a cena de violência não aguça a capacidade de mentes doentias. Então por que não pedimos a revogação do Estatuto do Desarmamento. Vamos dar uma arma pra cada um e salve-se quem puder ou quem tiver uma mira melhor ou sorte. Tenho horror a essa cultura brasileira de relativizar demais os fatos. É inversão da culpa da vítimas de estupros, assaltos entre outros crimes. As pessoas devem sempre pensar que aquilo que não queremos pra nós não devemos entender como justo para outro, seja animal, criança, idoso, negro, branco, obeso, magro. Eu lamento que muitos seres aqui na Terra se quer entende isso como uma passagem. Ontem assistia a TV e um candidato a prefeito de um município foi assassinado pra que não concorra mais, aqui no Rio de janeiro ocorreu com um presidente de uma escola de samba tradicional que morreu com 18 tiros. Assistir um outro programa que falava dos pichadores do Estado de São Paulo que mataram um morador de uma casa que teve o muro pixado porque este defendeu seu pai que apanhava dos marginais, o senhor sobreviveu, mas teve que amputar o seu braço direito atingidos por pauladas. Quanto tá valendo a vida humana? É o cangaço se instalando. E se não pararmos pra refletir o futuro será cada vez mais negro, não haverá justiça como não há pra casos como estes. Vamos acordar meu povo, não vamos mais admitir isso, vamos reagir a qualquer forma de violência. Vamos pedir paz!!! E não a Apologia velada à violência seja de qualquer espécie. Nossos valores estão se invertendo e tá na hora de atentar pra isso.

    ResponderExcluir
  9. Em se tratando de Globo, me nego a acreditar nas alegações da emissora.
    Só me mostrando in loco mesmo.
    Assim como o Discovery mata os animais que estão em seus habitats, só prá gravarem alguns idiotas isolados em áreas remotas, a Globo também pode fazê-lo, afinal ela manda no BRasil. Eu comparo com o tráfico de drogas...SÓ EXISTE TRAFICANTE PORQUE EXISTE O USUÁRIO. Então, SÓ EXIBEM ESSAS BIZARRICES PORQUE EXISTEM OS IMBECIS QUE ASSISTEM.
    Quando a Globo vai resolver exibir programas que nos tragam cultura ? Tipo Globo Ciência, que é exibido exatamente num horário em que estamos todos dormindo ?
    Hilário não ? Exibir um programa cultural, antes do sol nascer aos domingos.
    Não tem só ignorantes no Brasil, não. Existe gente que pensa também, viu, Rede Esgoto.
    E se quiserem excluir meu comentário, não estou nem aí.... tô cagando prá vocês

    ResponderExcluir
  10. Sou totalmente contra cenas de maus tratos aos animais, pois já vivemos num mundo violento, ainda uma emissora como a TV Globo, de longo alcance e formadora de opinião dos indecisos, exibe cenas assim, ainda que digam que foi por computação gráfica, só vai incentivar as mentes cruéis a fazerem na vida real. A Globo precisa dessa baixaria pra se promover e ganhar ibope? Tenha programas mais inteligentes que promovam a educação e humanização do povo !!!!

    ResponderExcluir