Areia sanitária para gatos: qual é a melhor opção?

Há vários tipos de granulados sanitários disponíveis nos petshops. Antes de escolher o produto adequado para o seu animal, saiba mais sobre cada um deles



gatos_areia

Quem tem gatos em casa sabe que eles costumam ser muito limpos e que geralmente aprendem sem grandes esforços a fazer suas necessidades no local certo. Basta colocar à disposição dos animais (em um local longe da comida deles, é claro) uma caixa com areia sanitária.

 No entanto, hoje, as prateleiras de pet shops já dispõem de diferentes tipos de granulados: areia, sílica e até madeira fazem parte do leque de escolha dos consumidores. Mas qual é a melhor opção para a sua casa, para a sua rotina e, principalmente, para o seu bichinho? Selecionamos algumas das principais opções para te ajudar a decidir.

Areia comum – São mais baratas e você pode até coletar na praia, se morar perto de uma que não tenha o solo contaminado por passagem de esgoto. Mas as desvantagens são significativas. Como nunca se sabe ao certo a composição do material, ele pode vir com algum tipo de fungo ou bactéria e deixar seu bichinho doente. Além disso, esse tipo de areia não controla os odores, nem absorve a urina, exigindo a troca completa e lavagem da bandeja toda vez que seu pet fizer cocô ou xixi.

Granulado comum à base de argila – É a opção mais encontrada em pet shops e até em supermercados. Composta por granulados escuros, em tons que variam do marrom ao acinzentado, de acordo com a marca, não é tão cara e o pacote com 4 kg custa em torno de R$ 5. O xixi forma pequenos torrões, fáceis de serem coletados com a pazinha. O conteúdo da bandeja costuma exigir troca total a cada semana, dependendo do animal. O granulado não gruda na pata do gato e, portanto, é mais difícil de ser espalhado pela casa.

Granulado com perfume – Segue as mesmas características do granulado comum, à base de argila. A diferença é que vem com um perfume. O cheirinho aparece conforme a urina do gato entra em contato com a areia. Por conta disso, o preço também fica um pouco mais alto. As trocas também precisam ser feitas pelo menos a cada semana, para evitar odores desagradáveis na casa. Outro ponto negativo é que alguns gatos podem apresentar alergia ao produto.

Sílica microcristais – É a melhor opção em controle de odores. O material químico absorve a urina e evita o mau cheiro por mais tempo. Se você tiver um gato só, pode durar até um mês. É formado por cristais brancos e azuis. Conforme ficam gastas, vão perdendo a tonalidade e o xixi vai se acumulando no fundo da bandeja. Quando isso acontece, é preciso retirar todo o conteúdo, lavar a caixa e colocar uma nova remessa. A desvantagem é o preço: custa três vezes mais do que os granulados comuns. Porém, se você considerar o tempo de duração, a troca compensa. A química também pode gerar algum tipo de reação para os gatos mais sensíveis.

Sílica bolinhas – As características são as mesmas dos microcristais, porém, a sílica em bolinha tem grãos mais finos e macios para as patinhas dos gatos. No entanto, é justamente no formato que reside sua maior desvantagem. Por serem arredondadas, as partículas podem rolar e se espalhar com mais facilidade pela casa, aumentando a sujeira.

Pedrinhas minerais – Pequenas pedras de origem mineral que endurecem em contato com a urina, facilitando a limpeza da caixa com a pá apropriada. Não costumam desencadear alergias nos animais. O custo é baixo e o poder de absorção é satisfatório, porém, deixa a desejar no controle do odor.

Madeira – É feita de pequenos grãos de madeira do tipo pinus. Além de ser biodegradável e, portanto, mais favorável ao meio ambiente, também tem um custo mais baixo e é natural, com menos chance de reações alérgicas da parte do animal. Absorve bem a urina e dura bem mais do que o granulado sanitário comum. O ponto negativo: você precisa peneira-la todos os dias para retirar a areia que já está gasta.

À base de farinha de mandioca – Outra opção natural que minimiza os riscos de alergia nos bichos mais sensíveis, esta versão é mesmo feita de farinha de mandioca.

PetMag

Nenhum comentário:

Postar um comentário