Cara de um focinho do outro: erros que os tutores cometem e que refletem na personalidade dos cães

Por mais bonitinho que seja, essas mordidinhas podem causar problemas. Fonte: Flickr.
Por mais bonitinho que seja, essas mordidinhas podem causar problemas. Fonte: Flickr.

Falta de regras e pulso firme fazem com que tutores tenham problemas comportamentais com seus pets, alerta veterinária

Quando filhotes, tudo o que o cãozinho faz é motivo para que seu dono o ache fofinho e engraçadinho demais. Isso vai desde destruir um chinelo a brincar pulando e mordendo. Porém, esse é um período crucial para a formação comportamental do cãozinho para o resto da vida dele, segundo Karina Apude, veterinária do Planet Dog Resort“Mais da metade dos casos em que os donos têm problemas com o animal está ligado a falta de regras nos primeiros meses de vida”.

É nesse período que os donos devem eliminar os maus-hábitos e alinhar o comportamento deles, afinal durante os três primeiros meses de vida a memória canina está em branco, como uma folha nova, e esse é o momento de “escrever” o que é certo e o que é errado. A veterinária do Planet Dog Resort separou algumas dicas que vão auxiliar os “pais” de primeira viagem a cuidarem dos seus “filhotes peludos”.

  • Pena de repreender o filhote
  • Não repreender o animalzinho é um erro cometido por muitos pais que se compadecem com as carinhas que os bichinhos fazem quando aprontam alguma coisa, mas a falta de regras pode acarretar problemas futuros. É claro que falar um pouco mais firme não é maltratar o cãozinho, mas sim orienta-lo mostrando que quando ele fizer algo incorreto você vai lhe impor uma situação indesejada (uma espécie de “cantinho da disciplina”) para que ele não cometa o erro novamente. “Uma ação que funciona muito é utilizar uma palavra que o repreenda em tom firme no momento em que o pet fizer algo errado, por exemplo, a palavra “não”", comenta Karina.
  • Brincar mordendo
  • É normal que quando pequenos os donos achem uma gracinha que eles brinquem mordendo, e em alguns casos o próprio dono estende a mão para que o animal possa mordê-la. Mas isso resulta, com o tempo, em problemas sociais na convivência do cão com outras pessoas, afinal ele associa morder a brincar e acredita que é permitido fazer isso com todos o tempo todo. Aqui o método de utilizar a palavra de repreensão enquanto aplica a correção funciona. E é importante que outros membros da casa não permitam essa atitude vinda do peludo, senão ele nunca perderá esse hábito. “Utilizar brinquedos próprios para cães são uma alternativa para suprir esta necessidade de morder, afinal nesse período eles passam pela troca de dentição e a gengiva coça muito”, comenta a veterinária.
  • Líder na família
  • Os cães, por natureza, são animais que vivem em matilha, e esse grupo necessita de um líder. Caso contrário, não existe ordem e a formação se perde. Com essa ideia é importante pensar que se na casa onde mora ninguém assumir o papel de líder o filhote, por instinto, ele assumirá esse posto. Portanto, desde o começo, o dono deve se impor como líder e deixar claro quem comanda o território.
“Se paramos para analisar são atitudes simples, mas que influenciam drasticamente na vida dos cãezinhos e a vida dos “pais” no decorrer do tempo, então vale apena colocar as dicas em prática para evitar dores de cabeça”, alerta a veterinária Karina Apude, que trabalha no Planet Dog Resort, empresa especializada em serviços para pets.

Nenhum comentário:

Postar um comentário