Veganismo na infância: exame de sangue de criança vegana surpreende especialistas

    Foto: Vegana É a sua Mãe / Reprodução


Dominique, brasileira, tem quase dois anos de idade. Ela é vegana desde quando estava na barriga da mãe, a Julia Harger, que compartilha sua vida vegana na página Vegana É a sua Mãe.

A menina não consome nenhum tipo de carne, leite ou derivados. Recentemente, ao completar um ano e 10 meses de idade, ela fez seu primeiro exame de sangue completo, solicitado por sua nutricionista, Thaisa Navolar. Nele, foram avaliados os níveis de ferro, vitamina B12, vitamina D, cálcio e zinco.

Os resultados foram mais do que bons, revelando a plena viabilidade de uma dieta vegana bem planejada para crianças.

O nível de ferro no sangue de Dominique é de 111 ug/dl, dentro do valor de referência de 50 a 120 ug/dl. Sua ferritina também atingiu níveis adequados no exame, com resultado de 27,6, acompanhando a referência para sua idade.



Da mesma forma, os níveis séricos de zinco e cálcio ficaram dentro do valor de referência, atingindo, respectivamente, 80,73 mcmol/l e 10 mg/dl.



E quanto à polêmica vitamina B12? Os resultados foram além do esperado: o valor de referência se situa entre 214 e 914 pg/ml, mas nesse caso ele foi superado, atingindo 1.582 pg/ml.


Em um vídeo publicado em sua página do Facebook, a nutricionista Thaisa Navolar classificou o exame como "excelente". Ela explicou que Dominique suplementa 2 mcg/dia de vitamina B12 e também faz uma suplementação preventiva de ferro, de 5 mg de ferro quelato por dia. Por conta do alto índice de vitamina B12, a suplementação poderá ser suspensa por alguns meses.

Felizmente, esse é só um dos vários exemplos que provam na prática que a alimentação vegana é saudável para todas as idades. E assim seguimos, para o desespero da indústria pecuarista, derrubando mais um mito da carne e do leite.



NOTAS DA NATUREZA EM FORMA:

1. Quais as diferenças entre vegetarianos, vegetarianos estritos e veganos? Saiba aqui.

2. Acompanhe nossa série semanal sobre veganismo na infância. Clique no marcador abaixo e leia as matérias anteriores!

Nenhum comentário:

Postar um comentário