Argumentos sem sentido que pessoas usam para justificar seu consumo de carne

1. Plantas também sentem dor


Sem dúvida nenhuma, plantas têm vida. Elas têm mecanismos que lhes possibilitam reagir a estímulos externos, tais como temperatura, toque e luminosidade. Mas ter vida é diferente de ter consciência. Ou de sentir dor. Nós só podemos sentir dor porque possuímos sistema nervoso, que envia informações dos órgãos até nosso cérebro. Plantas não possuem sistema nervoso e, portanto, são incapazes de sentir dor (saiba mais aqui).

2. Meus ancestrais não inventaram o arco e flecha para caçar repolho



Uau. Tem gente que parece querer voltar no tempo. Realmente, a humanidade já dependeu de carne para sobreviver e se utilizou de instrumentos de caça para obtê-la. Em pleno século 21, as pessoas ainda pensam em armas pré-históricas? 

É importante lembrar que o homem também inventou armas de fogo, armas biológicas, armas nucleares... além de escravidão, métodos de tortura, sistemas de segregação de raças e muitas outras coisas que só servem para promover a violência. Se quisermos viver em um mundo de paz, precisamos deixar essas coisas no passado.


3. Vou ficar fraco sem carne



Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Todos os nutrientes saudáveis da carne podem ser encontrados em abundância em alimentos de origem vegetal. E com a vantagem de não virem acompanhados de gordura saturada e colesterol! Na página do Facebook do fisiculturista vegano Paru Vegan você pode tirar todas as suas dúvidas a respeito disso.


4. Nós sempre comemos carne. Isso é normal



Nós também sempre matamos uns aos outros, fomentamos guerras, promovemos a discórdia e a miséria, criamos artifícios para aperfeiçoar técnicas de violência. A escravidão humana também sempre existiu e até pouquíssimo tempo também era vista como normal.


5. Se eu parar de comer carne, não vou mudar nada no mundo



As maiores mudanças do mundo começam com grandes pessoas dando pequenos passos. Como disse Gandhi, "seja a mudança que você quer ver no mundo".

Além disso, parando de consumir animais, você automaticamente já começa a colaborar imensamente para o bem do mundo. Na comparação com uma pessoa que consome carne diariamente, você passa a economizar cerca de 820 mil litros de água, 7.200 kg de grãos e 1 km² de floresta desmatada, deixa de emitir 3.285 kg de CO2 na atmosfera e ainda salva a vida de dezenas de animais todo ano. Tudo isso.


6. Nós precisamos de carne para obter proteínas



Não, não precisamos. Além de proteína, a carne contém gordura saturada e colesterol. Toda proteína que o seu corpo precisa para ter uma saúde perfeita pode ser encontrada em alimentos de origem vegetal. Feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha, soja, tofu, quinoa, pistache, brócolis, couve, arroz integral, castanha de caju, abacate, amendoim, cevada e cogumelos são alguns dos alimentos ricos em proteína vegetal.


7. Ser vegano é muito caro



Quanto mais alimentos industrializados você consumir, realmente mais caro será. Mas se você buscar uma alimentação vegetariana saudável, isso pode sair muito mais em conta para o seu bolso. Carne é muito mais caro que feijão, lentilha, grão-de-bico, brócolis, couve etc.

Quanto menos alimentos industrializados (hambúrgueres congelados, carnes vegetais etc.) você comprar, mais barata será sua alimentação. E mais saudável também. 


8. Os animais foram feitos para nos alimentar



Bom, parece que quem diz isso faltou a algumas aulas básicas de biologia. Apesar de sermos onívoros (capazes de metabolizar diversas classes de alimentos), nossa estrutura biológica é muito mais parecida com a de um frugívoro do que com a de um carnívoro, ou até mesmo com a de outros onívoros. Por isso, temos tantos problemas com colesterol. Também não temos dentes afiados e nosso intestino é longo e ondulado, enquanto o intestino de animais carnívoros é curto e liso para facilitar a digestão da carne.

Nós não precisamos de nenhum alimento de origem animal para termos uma saúde perfeita.


9. Nós estamos no topo da cadeia alimentar



Humm! Ainda estamos para ver pessoas caçando no meio do supermercado. Se um dia já tivemos necessidade de consumir animais, hoje não temos mais. Vivemos em uma sociedade com um sistema totalmente colaborativo, em que conseguimos ir ao mercado local e comprar frutas colhidas há poucos dias do outro lado do oceano.

Entrar no mérito de estar ou não no topo ou no meio da cadeia alimentar é uma discussão inadequada e que não faz sentido. Não só não caçamos mais para comer, como o homem criou um sistema macabro em que os animais já nascem dentro de verdadeiros campos de concentração onde sofrem do nascimento à morte.

* Além disso, um grupo de pesquisadores franceses decidiu utilizar dados das Nações Unidas sobre alimentação e agropecuária, de 176 países, abrangendo o período de 1961 a 2009, para calcular, pela primeira vez, o nível trófico humano. Suas descobertas, publicadas em 2013 na Proceedings of the Natural Academy of Sciences, podem ser um balde de água fria para aqueles que esbravejam ocuparem o topo da cadeia alimentar. Numa escala de 1 a 5, com o 1 representando a pontuação de um produtor primário (plantas), e o 5 representando um predador de topo de cadeia (um animal que se alimente apenas de carne e que tenha poucos ou nenhum predador, como o crocodilo ou o tigre), descobriu-se que os seres humanos alcançam um modesto 2,21, nos colocando em pé de igualdade com os porcos e as anchovas.


10. A carne é importante para alimentar milhões de pessoas



Poderíamos alimentar MUITO mais gente com alimentos de origem vegetal. Mais da metade de todos os grãos do mundo é destinada a animais explorados para abate. De acordo com a Mercy for Animals, enquanto alimentamos 200 BILHÕES de animais no mundo, 850 milhões de pessoas passam fome. Se destinássemos pelo menos parte desses grãos para pessoas que sofrem com a fome no mundo, poderíamos alimentar 4 BILHÕES de pessoas a mais. Isso: a mais!

A produção de carne exige muito mais energia, terra e água do que a produção de alimentos de origem vegetal. Para se ter uma ideia, com um mesmo espaço de terra fértil, é possível alimentar uma única pessoa que consome carne ou 18 veganos.


Fonte: Mercy for Animals Brasil (* trecho de O Holocausto Animal)


NOTA DA NATUREZA EM FORMA:

Animais não são alimento, nenhum deles. Eles não são comida nem escravos dos humanos. Sentem como todos nós e por isso merecem a vida e a liberdade. A alimentação vegana, sem carne de qualquer tipo ou derivados (laticínios, ovos, mel), já está provada como sendo a mais saudável para os humanos. Quem opta pelo veganismo está fazendo um bem pelos animais e para sua própria saúde e vida. E não é difícil nem caro. Quer uma ajuda para começar a parar de comer carne? O primeiro passo é a informação. Aprenda com quem já vive esse estilo de vida: pergunte, pesquise. Use as redes sociais para expandir seu conhecimento sobre vários assuntos, inclusive esse, que é vital para você e milhões de vidas inocentes. Há diversos grupos sobre o tema no Facebook. Listamos abaixo alguns deles:

- Troll Ajuda disponibiliza uma lista de produtos (não só para alimentação) livres de crueldade animal e oferece sempre diversas dicas para iniciantes;

- Veganismo é um dos maiores grupos sobre o tema no Facebook, com quase 50 mil membros sempre compartilhando experiências e tirando dúvidas; 

Veganismo Popular desmitifica a ideia de que veganismo é caro. É perfeitamente viável seguir uma alimentação diária sem crueldade animal e sem maltratar seu bolso;

- Musculação Vegana é voltado para os praticantes de atividades físicas. Nele, você pode ver como é preconceituosa e errada a ideia que algumas pessoas tentam propagar, de que vegetarianos e veganos são fracos fisicamente (muito pelo contrário, veganos são mais fortes e saudáveis). O grupo oferece diversas dicas de alimentação e suplementação vegana.

Além dos grupos, o Mercy for Animals Brasil disponibiliza um Guia Vegetariano gratuito em seu site. Nele, você encontra diversas informações que podem norteá-lo no começo de uma nova vida. O Desafio 21 Dias Sem Carne também pode ser uma boa forma de começar.

Existem ainda sites e blogues com deliciosas receitas veganas, fáceis e baratas de fazer. Estes são alguns:




Viewganas (canal do YouTube especializado em versões veganas de receitas tradicionais com carne)

Se você gosta de ter material impresso nas mãos, a Revista dos Vegetarianos é uma publicação mensal com excelente conteúdo.

Essas são algumas dicas. Na vasta rede da internet, é possível encontrar muito mais. Sabemos que mudanças de hábito são difíceis, mas todos que optaram por qualquer mudança deram o primeiro passo em algum momento da vida. E mudanças podem ser graduais. Comece aos poucos, dê um passo de cada vez. 

Mas já saiba desde o começo que abraçar o veganismo é uma mudança e tanto, que fará um imenso bem para você, para os animais e para o planeta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário