Por mais veterinários veganos: por que cuidar de uns enquanto explora outros?



Em um mundo ideal, seria ótimo contar com veterinários veganos para atender os animais domésticos. Nossos amigos animais seriam cuidados por pessoas que não compactuam com o especismo e entendem que é imoral consumir os corpos e produtos de outras criaturas. Esses míticos profissionais considerariam a vida dos cães e gatos tão importante quando a das galinhas que têm seus ovos roubados ou porcos que são assassinados, mas infelizmente ainda são poucos que adotam o veganismo e a maioria não se preocupa em ajudar alguns enquanto fere outros, segundo artigo do Ecorazzi.

De maneira geral, o veganismo está distante dos estudantes de medicina veterinária, ensinados a promover o bem-estar animal ao invés dos direitos animais. Afinal, a indústria que explora animais precisa do serviço veterinário e muitos profissionais já desenvolvem sua carreira diretamente ligados à exploração, em atividades como agropecuária, criadouros de cães e gatos e testes em animais.

O célebre veterinário “Pete, the Vet”, famoso nos EUA, justifica o consumo animal com argumentos controversos. Ele alega que animais não humanos possuem uma parte frontal do cérebro menor, por isso “vivem mais no presente” do que humanos, com pouca memória e expectativas, o que tornaria aceitável que sejam mortos e consumidos. O veterinário ainda se autodenomina “vagamente vegano” por consumir produtos animais de fazendas “humanitárias”, reforçando o bem-estarismo como visão geral da profissão.

O veterinário vegano Randall Cannon, por sua vez, compartilhou sua opinião sobre o assunto com o blogue Vegans Are Cool, descrevendo como é sair para jantar com seus colegas de profissão onívoros: “Eu não meço palavras à mesa. Não acuso meus colegas de serem más pessoas, mas aponto a hipocrisia especista que é tratar cães e gatos todos os dias e simplesmente ignorar vacas, galinhas, porcos e outros animais explorados para consumo. Quase sempre tenho que lidar com as mesmas perguntas sobre proteína, sentimentos das plantas e outras bobagens, mas respiro fundo e tento comovê-los. Espero que um dia os veterinários se comprometam com os direitos animais ao invés de defender as instituições que disseminam a exploração, tortura e abuso animal”.

Não há um movimento 'oficial' de veterinários veganos, mas a página do Facebook The Veterinary Vegan Network reúne profissionais da área para compartilhar e produzir informações sob a perspectiva abolicionista, rejeitando qualquer violação dos direitos animais. Com o crescimento do ativismo pelos direitos animais, seria incrível ver mais veterinários engajados, mostrando ao mundo que todos os animais merecem cuidado e respeito, não somente aqueles que escolhemos como companhia.


Fonte: Anda

Foto: Reprodução/Ecorazzi

Nenhum comentário:

Postar um comentário